MORTE POR BACON

MORTE POR BACON

O perigo das carnes processadas

Não culpe já o mensageiro. De acordo com um estudo recente a morte causada pela ingestão de bacon é uma possibilidade real.

Um estudo publicado no jornal BMC Medicine revela que 448.568 pessoas que comiam alimentos processados como bacon, salsichas, presunto e outras carnes frias aumentavam significativamente o risco de morte prematura. Este estudo de grandes proporções foi levado a cabo em 10 países europeus durante mais de 12 anos.

Logo a seguir ao tabaco, inactividade e outros factores de estilo de vida, os investigadores concluiram que existe uma forte correlação entre a ingestão de carne processada e doenças cardivasculares, cancro e outras causas de morte.

Descobriram que pessoas que comiam mais de 160 g de carnes processadas por dia, equivalente a 2 salsichas e uma fatia de bacon, tinham 44% maior probabilidade de morrer no periodo seguinte do que as que comiam apenas 20 g.

O consumo de carne de aves não obteve as mesmas evidências

Doença de coração foi a principal causa de morte neste estudo, sendo a de cancro também relevante.

Significa que não pode tocar mais em bacon? Claro que não. Mas significa que deve ficar consciente dos riscos envolvidos em ingerir carnes processadas diariamente.

Existe de facto um preço a pagar por esta moda de adicionar  bacon a quase tudo.

É dificil argumentar contra um estudo de longo prazo como este, para além de muitos outros que encontramos na internet mostrando os perigos da carne processada.

Adaptado de Death by Bacon de Michelle Schoffro Cook

Poderá também ter interesse em: