Porque não há mais medicos a praticar a prevenção de doenças?

Porque não há mais medicos a praticar a prevenção de doenças?

Medicina convencional focada na medicação

Porque não há mais médicos a praticar prevenção para as doenças coronárias? Falta de tempo é uma das razões mais utilizadas pelos médicos, mas se formos mais ao fundo da questão, a principal razão é a percepção de que os doentes receiam ficar privados da comida de plástico que ingerem. Tente imaginar um médico a dizer: “gostaria de mandar os meus pacientes deixarem de fumar mas sei que eles apreciam demasiado o hábito”

Mudanças na alimentação para reduzir os níveis de colesterol são muitas vezes assumidas como redução do nível da qualidade de vida.

As mudanças alimentares para reduzir os níveis de colesterol são muitas vezes assumidas como diminuições da qualidade de vida. Ao contrário do que se pensa, um estudo revelou que são observadas melhorias de qualidade de vida e maiores níveis de satisfação em pacientes com mudanças alimentares comparando com os que tomam medicamentos para baixar o colesterol. Apesar das pessoas que tomam medicamentos não sentirem diferenças, as que fazem mudanças alimentares registam mais saúde, satisfação e maior qualidade de vida genericamente. Mais sentimentos positivos e menos negativos.

Uma barreira à prevenção de doenças cardiovasculares é o facto de os médicos não realizarem quanto poderosas as mudanças alimentares podem ser. A importância da dieta para a saúde dos doentes é ainda subestimada pelos médicos em geral. Até mesmo as publicações médicas de sectores ligados aos medicamentos enfatizam já a necessidade de alterações de hábitos de vida para a redução do risco de doenças cardiovasculares ateroscleróticas. Mesmo assim, cerca de metade dos médicos optam pela prescrição de medicamentos, ignorando as mudanças de estilo de vida.
Adaptado de Why Don’t More Doctors Practice Prevention? de Dr. Michael Greger

 

Poderá também ter interesse em: