É assim que o bacon provoca cancro

É assim que o bacon provoca cancro

O relatório do mês passado da Organização Mundial de Saúde sobre os riscos de cancro associados ao consumo de carnes processadas deixaram toda a gente a falar durante cerca de uma semana, no entanto vai demorar um pouco até vermos se os consumidores estão ou não a comer menos desses alimentos por causa do relatório.

Mas até que ponto as carnes processadas causam cancro? Mariana Stern, especialista em cancro e professora na Universidade de Southern California, e dados de WHO e do Global Burden of Disease Project estão na base de um trabalho recente que revelam como maus agentes cancerígenos são cultivados no processamento das carnes.

Porquê o Bacon? A cultura do bacon tem revelado tendências surpreendentes recentemente. Não só o seu consumo tem riscos de saúde conhecidos, como o bacon é produto de sofrimento inimaginável. Sempre que se houve “tudo melhora com bacon”, devíamos lembrarmo-nos que o bacon é um produto que nasce da dor, tortura e morte aterrorizante. Se a questão moral associada ao sofrimento causado aos animais não for suficiente, analisemos o racional da saúde, especificamente os riscos de cancro:

  1. Nitratos and Nitritos. Muitas das carnes processadas são preservadas com nitratos e nitritos que podem transformar-se em componentes cancerígenos chamados nitrosaminas que, por sua vez, danificam o ADN. Cozinhar a altas temperaturas aumenta também a ocorrência de nitrosaminas. Sabe-se que este composto causa cancro numa variedade de animais e que está associado a cancro gástrico e no esófago em humanos.
  2. Altas Temperaturas.Fritar, assar e grelhar carnes a altas temperaturas leva à formação de cancerígenes. Um dos maus compostos, amina heterocíclica, está associado ao cancro no cólon, recto, peito, próstata, pâncreas, pulmões, estômago e esófago. Infelizmente para os amantes de bacon, fritar o bacon na frigideira a altas temperaturas aumenta bastante os riscos.
  3. Ferro Heme. A molécula na carne que contem ferro tem um papel relevante na formação de compostos N-Nitroso, muito associados ao risco de cancro, especialmente o cancro colorectal. A toxicidade do ferro heme pode também catalisar a formação de cancro

Se ficou compreensivelmente preocupado com os riscos do bacon convencional (incluindo o de peru, a propósito), saiba que há no mercado toneladas de bacon à base de plantas. Com os bacon de coco, tempura, seitan, tofu ou o bacon de zuchcini e berinjela deixou de haver desculpas para continuar a consumir produtos à base de carne de porco ou quaisquer carnes processadas.

Adaptado de This is how bacon causes câncer de Katie Medlock

Poderá também ter interesse em: